Baptista Bonzo e sua cúpula burlam Estado e continuam impunes

Baptista Bonzo e sua cúpula burlam Estado e continuam impunes

 

A Procuradoria-Geral da República (PGR) é acusada de fazer “ouvidos de mercador” sobre um processo-crime de burla ao Estado moçambicano em mais de 22 milhões de meticais. O caso é denunciado numa queixa-crime, que ostenta o número 123/FTC/2016, movida pelo Fundo de Desenvolvimento dos Transportes e Comunicações (FTC) contra a empresa GWM Moçambique, do empresário moçambicano Baptista Bonzo.

Na queixa-crime que se encontra a “vegetar” na PGR, desde 2014, a que o Zambeze teve acesso, o FTC espera com este procedimento criminal recuperar cerca de 22.345.731,86 MT (vinte e dois milhões e trezentos e quarenta e cinco mil e setecentos e trinta e um mil e oitenta e seis centavos), pagos a GWM de Baptista Bonzo…..

Leia mais na edição impressa do Zambeze

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *