fbpx

Campanha prossegue… com violência, detenções, uso de bens do Estado

Campanha prossegue… com violência, detenções, uso de bens do Estado

Ao terceiro dia da campanha eleitoral, reportam alguns casos de má conduta envolvendo os partidos políticos concorrentes. Violência, destruição de material de propaganda, uso de meios do Estado, cobranças coercivas a professores são alguns dos problemas. No Distrito de Chigubo, Gaza, foi detido segunda-feira (2) um membro do MDM acusado de destruir material de propaganda da Frelimo. A detenção ocorreu depois que simpatizantes do MDM e da Frelimo envolveram-se em pancadaria alegadamente porque os do MDM removeram cartazes da Frelimo. Este é o primeiro caso de detenção reportado desde o arranque da campanha eleitoral há três dias. Ainda em Gaza, simpatizantes da Renamo e da Frelimo trocaram insultos na manhã de segunda-feira (2) durante a campanha eleitoral na localidade de Macia, distrito de Bilene. As caravanas dos dois partidos cruzaram-se quando decorria a campanha porta-aporta da Frelimo no posto administrativo de Mazvila. O mesmo repetiu-se no distrito de Chibuto, ainda na mesma província, onde supostos simpatizantes da Frelimo apedrejaram membros da Renamo enquanto estes faziam a sua campanha, reportam nossos correspondentes. Nos dois casos, a polícia foi chamada a intervir para impor a ordem no local. A província de Gaza é bastião da Frelimo e os simpatizantes da Frelimo têm sido hostis a partidos da oposição promovendo sempre actos violência contra a oposição. Na cidade de Chimoio, Manica, um cidadão foi detido por ter vandalizado material de propaganda eleitoral da Frelimo. Na cidade da Beira simpatizantes do MDM e da Frelimo envolveram-se em pancadaria no primeiro dia da campanha e resultou em dois feridos e um detido. O hospital Central da Beira confirmou hoje que duas pessoas deram entrada naquela unidade sanitária com ferimentos graves e ligeiro em consequência de um confronto entre as duas caravanas no populoso bairro da Munhava. As duas pessoas feridas são tidas como membros da Frelimo. O caso aconteceu quando os membros do MDM e da Frelimo, disputavam espaço para colocar os panfletos das suas formações políticas. O ferido grave é Mateus Antônio Alfredo, que sofreu na parte da cabeça tendo sido saturado 12 pontos. Um membro do MDM encontra-se detido na 4ª Esquadra da Munhava, supostamente por envolvimento no caso. Beira é bastião do MDM, mas tanto a Frelimo como a Renamo gozam de forte apoio. No distrito de Bilene, Gaza, simpatizantes da Frelimo são acusados de retirar panfletos de outros partidos para depois colocar os seus. O mesmo se verifica no distrito de Macia. No distrito de Marracuene, em Maputo, a Renamo acusa simpatizantes da Frelimo de rasgar panfletos do seu partido e substituí-los com os do seu partido em postes de iluminação pública e pontes. No distrito de Sussundenga, Manica, simpatizantes do MDM têm sido alvos de ameaças por supostos membros da Frelimo, informou o delegado daquele partido ao Boletim. Segundo a fonte, alguns simpatizantes da Frelimo dirigiram-se à sede do MDM, retiraram a bandeira do seu partido para colar cartazes do partido no poder. Os membros do MDM são alvos de perseguição e ameaças nos bairros 3 de Fevereiro e Samora Machel, apurou o Boletim. O delegado do MDM, Eleições Gerais 2019 – Boletim Sobre o Processo Político em Moçambique 42 – 02 de Setembro de 2019 2 Alberto Bonzo, disse já ter remetido o caso a Procuradoria Geral da República. No distrito de Vanduzi, a Renamo queixa-se de destruição dos seus panfletos por simpatizantes da Frelimo. Segundo a delegada da Renamo naquele distrito, o caso foi reportado à polícia e nenhuma medida foi tomada. Uso de viaturas do Estado A Frelimo está a usar viaturas do Estado em campanha eleitoral, apesar da criminalização da prática. No distrito de Macomia, a Frelimo usou a viatura do Governo distrital de Macomia durante sua a campanha no posto administrativo de Chai. Tratase de viatura de marca Ford Ranger dupla cabine, com a matrícula AIJ 371 MC. No distrito Mutarara, Tete, a Frelimo fez uso da viatura protocolar do Administrador distrital. O uso de viaturas do Estado em campanha é crime público punido em até um ano de prisão e multa de até seis salários mínimos, previsto e punido na alínea b do número 1 do artigo 62 da Lei nᵒ 2/2019, de 31 de Maio. Cobranças coercivas a professores No distrito de Morrumbala, Zambézia, Frelimo obriga directores de escolas públicas e professores a contribuir com dinheiro para custear as despesas da sua campanha naquele ponto do país. Os directores são obrigados a apoiar com 500 meticais e os professores podem contribuir com o valor que puderem. Segundo as orientações do partido, a contribuição deve ser feita num prazo de cinco dias, reportam nossos correspondentes. O mesmo sucede na cidade de Quelimane, onde directores e pedagógicos das escolas são obrigados a contribuir com 1000 e 750 meticais respectivamente para financiar a campanha do partido no distrito. No distrito de Bárue, Manica, professores da escola primária de Nhampassa são obrigados a apoiar a Frelimo nas actividades da campanha, tendo que fazer escala entre colegas nas escolas, o que compromete. “O director ordenou a todos a fazerem escala para apoiar a Frelimo na campanha”, disse um professor ouvido pelo Boletim. Campanha segue sem ataques em Cabo Delgado A campanha eleitoral decorre ainda a meio gás em Cabo Delgado. Alguns partidos saem à rua, mas sem muita expressão e a vida da população segue normalmente nos distritos que nos últimos meses têm sido palco de ataques. No distrito do Ibo apenas o partido Frelimo saiu a rua para pedir votos nas localidades de Matema e o posto de Quirimba. No distrito, é fraca participação dos membros e simpatizantes dos partidos. Na Mocímboa da Praia, nenhum partido se fez a rua nesta segunda feira. Um número insignificante de membros dos três partidos que estão a fazer campanha, estavam nas suas sedes a preparar a caça ao voto. Ainda não houve, neste distrito, incidentes desde o primeiro dia da campanha. Em Nangade a Renamo não saiu às ruas, a Frelimo desfilou nas aldeias de Nyanga e Chikuiya Nova e o MDM se limitou a percorrer a sede do distrito. Em outros distritos de Cabo Delgado alvos de ataques dos insurgentes a campanha segue normalmente. No distrito de Quissanga, as caravanas da Frelimo e Renamo saíram e foram todas escoltadas pela polícia conforme prometera o Comandante Geral da PRM, Bernardino Rafael. A normalidade também se registou nos distritos de Palma, Mecúfi e Macomia.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *