fbpx

Alocadas equipas de vigilância para zonas de risco face a praga de gafanhotos

Alocadas equipas de vigilância para zonas de risco face a praga de gafanhotos

As autoridades nacionais destacaram equipas de vigilância e prepararam pulverizadores e pesticidas para as províncias de Sofala e Niassa, consideradas zonas de risco face à praga de gafanhotos que ameaça a África Austral.

Vários técnicos de sanidade vegetal estão a controlar as planícies de Búzi (Sofala), centro de Moçambique, e o lago Chilua (Niassa), no norte do país, na fronteira com o Malawi, zonas que englobam as sete áreas em Moçambique mapeadas com focos de eclosão da praga, explicou Amade Cusseringua, que integra a equipa de vigilância da praga destacada pelo Ministério da Agricultura.

“A praga do gafanhoto pode surgir, mas a eclosão não será em qualquer parte, por isso estamos atentos àquelas áreas que estão previamente identificadas”, disse à Lusa.

 “Por a praga ser transfronteiriça e poder atacar regiões fora dos focos de eclosão, as autoridades estão a sensibilizar os camponeses das zonas do interior para alertarem os serviços de actividades económicas em caso de surgimento de nuvens do gafanhoto vermelho”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *