fbpx

Reflexão sobre impacto do COVID-19 na Balança Comercial de Moçambique

Reflexão sobre impacto do COVID-19 na Balança Comercial de Moçambique

O volume do comércio de bens com o exterior apresentou, em 2019, no País, um comportamento estacionário, em relação ao ano anterior, tendo sido transacionados bens no valor total de 12.096.7 milhões de dólares norte-americanos, contra 11.956.5, em 2018, o que corresponde a uma variação positiva de 1.2 por cento.

Estes dados foram anunciados pelo ministro da Indústria e Comércio, Carlos Mesquita, no decurso do Webinar de reflexão sobre o impacto e desafios da pandemia do novo coronavírus na Balança Comercial de Moçambique, no contexto da SADC, ocorrido, sábado, 15 de Agosto, em Maputo.

Conforme indicou o governante, o saldo da Balança Comercial deteriorou-se, em 2019, em 827 milhões de dólares, situando o défice em 2.758.9 milhões, contra os anteriores 1.931.9 milhões, em 2018, comportamento que resulta da queda das exportações e da subida das importações.

Em 2019, saíram do País bens no valor de 4.668.9 milhões de dólares, o equivalente a uma queda de 6.9 por cento, face aos 5.012.2 milhões, registados, em 2018, referiu o ministro, acrescentando que a entrada de bens, no País, registou um valor global de 7.427.8 milhões, o equivalente a um crescimento de 7.0 por cento, face aos 6.944.2 milhões registados, em 2018.

Excluindo os megaprojectos, as exportações, em 2019, situaram-se em 2.218.9 milhões, mais 23.7 por cento, face a 2018, enquanto as importações foram no valor de 6.525.5 milhões, mais 9.6 por cento, face a 2018.

Num outro desenvolvimento, o titular do pelouro da Indústria e Comércio, referiu que a pandemia do novo coronavírus está, indubitavelmente, a impactar negativamente a economia moçambicana, bem como da região, tornando difícil a mobilidade de pessoas e mercadorias dum país para o outro, dificultando, deste modo, o fluxo do comércio.

Estes factores estão a concorrer para o agravamento do défice na conta corrente da balança de pagamentos, impactando negativamente na entrada de divisas em moeda externa, com particular destaque para o dólar norte-americano, tendo em consideração que o comércio internacional é a força motriz para o desenvolvimento de qualquer economia, realçou.

Apesar do choque que se verificou, no primeiro semestre do corrente ano, e que resultou num abrandamento significativo do nível de actividade empresarial, conforme enfatizou Carlos Mesquita, projecta-se, para o segundo semestre, uma tendência de recuperação gradual da actividade empresarial, podendo o nível da perda de facturação baixar de 65 por cento, para 32 por cento.

Refira-se que o Webinar “Exportações vs Covid-19”, promovido pelo Ministério da Indústria e Comércio, em parceria com o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, enquadra-se no âmbito das comemorações dos 40 anos da SADC e constitui uma plataforma de debate virtual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *