fbpx

Vitória Diogo quer maior cooperação entre produtores de açúcar em Xinavane

Vitória Diogo quer maior cooperação entre produtores de açúcar em Xinavane

A Secretária de Estado na província de Maputo, Vitória Diogo, orientou os produtores de cana sacarina do distrito da Manhiça a dialogar mais entre si para a elevação contínua da produção naquela região. Quer os produtores das fábricas, quer associativos ou familiares, são determinantes para a produção local, segundo sustentou aquela dirigente.
Vitória Diogo visitou na última sexta-feira, 31 de Julho, a fábrica Açucareira de Xinavane, onde se inteirou dos níveis de produção e perspectivas daquela unidade fabril. A fábrica continua a operar sem constrangimentos maiores, apesar da pandemia da Covid-19, abastecendo os mercados nacional e internacional.
Para garantir maior quantidade de matéria prima para produção de açúcar, a Açucareira estabeleceu acordos com produtores de cana sacarina familiares ou associativos.
De há dois anos a esta parte, as principais indústrias consumidoras do açúcar no país são abastecidas pela Açucareira de Xinavane. A Secretária de Estado desafiou os gestores daquela unidade fabril a recrutar mais mulheres para as áreas técnicas, havendo algumas nos sectores de engenharia química e soldaduras, para além do sector de refinamento.
Entretanto, no decurso de uma visita que efectuou, na quinta-feira, ao distrito da Manhiça, aquela dirigente recomendou aos chefes de secretaria, coordenadores das Comissões de Avaliação de documentos e técnicos responsáveis pelo tratamento de informação classificada, a melhorar a gestão documental para garantir melhor serviço aos utentes dos serviços públicos.
Vitória Diogo falava no acto de abertura do Seminário de Gestão Documental e Tratamento de Informação Classificada, que se realiza no âmbito da Boa Governação e Descentralização. A capacitação tem a particularidade de  acontecer num período de implantação dos órgãos e entidades descentralizadas.
Tal como recordou, a implantação dos órgãos de Governação descentralizada visa responder aos programas governativos, assegurando a aproximação dos serviços públicos ao cidadão com rapidez e qualidade e exige a tomada de medidas organizativas pelo Estado, com destaque para a transferência de documentos e dossiers   (memória institucional) que garantam a continuidade dos diferentes serviços prestados pelo Estado, por forma a garantir que não haja rupturas nos procedimentos, prazos e influenciem negativamente as decisões dos órgãos sobre as petições em curso.
A Secretária de Estado na província de Maputo enfatizou que o processo é fundamental na gestão de documentos, daí que se exige discernimento, profissionalismo, zelo e capacidade de reorganizar a memória institucional de acordo com os valores, a missão e visão institucionais.
Diogo sublinhou que o arquivo organizado permite localizar rapidamente os documentos para análise, tramitação e facilita a tomada de decisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *