fbpx

Editorial: Minimizar presidente da Renamo é atropelo a democracia

Editorial: Minimizar presidente da Renamo é atropelo a democracia

Há alguns meses, parece haver um interesse por parte de vários sectores, alguns definidos e outros indefinidos, em tentar desacreditar e minimizar o líder da Renamo, mas não podemos esquecer que ele foi democraticamente eleito em um Congresso e que tem o apoio da grande maioria dos membros do partido, dos votantes e dos simpatizantes.

 Desde que foi nomeado presidente de seu partido, ele seguiu as ideias e directrizes que seu antecessor, o líder indiscutível da Renamo, Dhlakama, deixou marcadas em suas negociações com o Governo, assim como seu desejo de uma paz duradoura para o nosso país, uma paz para todos.

 Temos que entender que as situações não ficaram paralisadas ao longo do tempo, elas mudam de acordo com os diferentes momentos e que é necessário se adaptar às mudanças que estão ocorrendo, mas sempre mantendo o único objectivo que é alcançar a paz. Hoje, será difícil encontrar qualquer cidadão que não esteja satisfeito com este acordo e pudera usufruir da tão esperada paz após tantas mortes e tantos sofrimentos.

 Em todos os partidos políticos, sempre há membros que tentam pressionar e até enfraquecer o líder, porque estão buscando obter a liderança, às vezes de maneira não democrática, membros que pensam que merecem mais ou que pensam que não são suficientemente valorizados, tendo em conta que a ambição humana às vezes supera a inteligência.

 Ossufo Momade, apesar das suas críticas de alguns que esperavam obter mais vantagens dentro do partido, é uma pessoa que cumpriu os objectivos de seu antecessor de maneira exemplar e depois de tantos anos, o objectivo da paz foi alcançado. Todos devemos ser gratos ao presidente da Renamo, Ossufo Momade, por seu trabalho e os acordos alcançados, ao invés de criticarem e dizer que Nyusi e a Frelimo domesticaram ou que compraram Ossufo.

 Se analisarmos a realidade do partido até a morte de Dhlakama, a estrutura e a actividade política foram baseadas exclusivamente em seu líder, o partido era Dhlakama e tudo girava em torno dele.

Essa estrutura personalizada deixou o partido em uma situação muito complicada após a sua morte e agora é necessário organizar uma nova fase criando e organizando o partido com uma estrutura actual e pensando no futuro.

 Não há dúvida de que essa nova fase cria situações e mudanças para se adaptar a uma nova realidade, mudanças que, sem dúvida, podem produzir tensões, mas Ossufo Momade está conduzindo essa nova etapa com prudência e decisão, em benefício do partido. É isso que muitos, habituados a uma liderança pouco democrática, a um líder da oposição que se opôs a tudo mesmo sabendo que também se beneficiava ele e o país dessas decisões, não conseguem se adaptar a nova liderança. Por outro lado, o reconhecimento como líder da oposição é importante, porque de facto é o reconhecimento da Renamo e de todos os seus membros indirectamente.

Em muitos países existe esse reconhecimento, que tem um tratamento preferencial e que representa os milhões de cidadãos que votaram neles e consolidaram a democracia. Além disso, este título foi introduzido ainda quando Dhlakama estava vivo e foi proposto anteriormente a Nyusi, uma ideia aplaudida por todos e muitos cidadãos na altura.

 Queremos um líder da oposição como o guerrilheiro Nhongo, que não sabe quais são seus objectivos, excepto matar inocentes e destruir a paz e o bem-estar dos cidadãos ou queremos uma pessoa aberta ao diálogo e preservará paz como Ossufo Momade?

 Os seres humanos não são perfeitos e cometemos erros, todos, também como você, mas isso não significa que não valorizamos as suas acções positivas dos políticos que beneficiam a grande maioria dos cidadãos mesmo que as vezes só se enfoca no negativo e criticamos as suas acções positivas.

Nestas semanas e meses em que estamos sofrendo com a pandemia da Covid-19, precisamos entender que é mais importante colaborar com as instituições e ajudar a resolver problemas o máximo possível do que enfrentar batalhas estéreis por meia dúzia de votos, os cidadãos, sem dúvida, apreciarão isso. Essa atitude não é uma fraqueza, é força e espírito de Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *