Argélia : novas manifestações, prisões e condenações de opositores

Argélia : novas manifestações, prisões e condenações de opositores

Desde o início da crise sanitária da COVID 19 e a interrupção das manifestações semanais nos meados de Março, na Argélia , continua a repressão sobre os lideres do Hirak (movimento popular de contestação), sobre os opositores, os jornalistas, os meios de comunicação independente, inclusive sobre os internautas.
Após mais de 500 detenções em 23 cidades de todo o país durante as manifestações da última sexta-feira, 19 de Junho, a condenação a um ano de prisão da activista Amira Bouraoui, a adversária iconoclasta, o grande nome dos protestos dos cidadãos, no domingo passado, suscitou forte emoção e provocou indignação na Argélia e no mundo, de acordo com o jornal argelino Al Watan.
Durante 56 semanas, denunciando a corrupção, o nepotismo e o “Estado militar”, o Hirak exigiu uma mudança no “sistema” em vigor desde a independência, em 1962. Em vão, apesar de ter conquistado a queda do Presidente Abdelaziz Bouteflika após 20 anos de reinado.
No entanto, o poder está enfraquecido não só pelo Hirak e pela emergência sanitária, mas também pela queda do preço dos hidrocarbonetos, que ameaça a Argélia, hiper-dependente das receitas petrolíferas, com uma Tcrise económica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *